Arraial do Pavulagem, patrimônio cultural paraense desde a década de 80

domingo, 3 de julho de 2011

Hoje (3), o Arraial do Pavulagem encerra a quadra junina de 2011.

Como surgiu o famoso ”arrastão” que acontece todos os domingos de junho na praça da República,  patrimônio cultural de Belém e do Pará?

Arraial do Pavulagem é um grupo musical de Belém do Pará.

Nome derivado de:
arraial = local onde se realizam os festejos, nas festividades dos santos
pavulagem = neologismo originário de pavão, que significa o formoso, bonito, e pomposo e que na linguagem popular tem o significado de "o que gosta de aparecer", ou o fanfarrão.

Origem

No começo, uma brincadeira na Praça da República reunia os mais variados artistas. O que deveria ser apenas uma brincadeira acabara virando uma grande roda de cantoria.Cantadores e compositores, entre outros, tinham uma ideia, a de formar plateia e assim criar um espaço para divulgarem seus trabalhos. A princípio, o boi era chamado “Pavulagem do Teu Coração”. A partir de 1987 passou a ser chamado de "Arraial do Pavulagem".

A mudança se deu pelo fato de se ter uma visão mais ampla do contexto cultural podendo, assim trazer um universo de elementos populares para o Arraial e não se limitar somente à cultura do boi-bumbá.

Depois de 17 anos de vivência o grupo musical resolve fortalecer as ações públicas criando para isso o Instituto Arraial do Pavulagem em 2003.

Instituto Arraial do Pavulagem = dedica-se à pesquisa, à produção e à valorização da cultura popular de raiz feita na Amazônia, utilizando as linguagens, os ritmos, elementos simbólicos de folguedos, as danças e a religiosidade popular como base de referência para a difusão das tradições culturais, ao mesmo tempo em que dá continuidade ao seu processo criativo, procurando harmonizar o tradicional e o moderno buscando aprimorar sua linguagem musical e buscando o fortalecimento da identidade cultural paraense, oferecendo ao publico um trabalho criativo e original.

Cordão do Peixe Boi = cortejo popular de cunho cultural, ambiental, ação educativa, artística e de mobilização socioambiental que antecede os preparativos do Carnaval. E que sai pelas ruas do centro comercial e na Cidade Velha.

Cordões de bichos - formas de carnavalização populares. A festa se realiza na rua com seus formatos coloridos, manifestações cênicas e musicais espontâneos.

Durante o cortejo, o peixe-boi é levantado pelos brincantes e que descem a escadinha do Cais do Porto (na Praça Pedro Teixeira), onde estarão concentrados cerca de quatro mil brincantes. O cortejo seguirá pelas ruas do Comércio, até a dispersão na Praça do Carmo.

Arrastão do Pavulagem (Arrastão do Boi Azul) - no segundo domingo de Junho sai um barco da Praça Princesa Isabel, no bairro do Condor (Belém), transportando o Boi Pavulagem e convidados (Boi Malhadinho e Boi Orube) juntamente com o mastro de São João rumo à escadinha do cais na Praça Pedro Teixeira, seguindo até a Praça da República onde o mastro é fincando, permanecendo lá até o final da quadra junina.

Santos da época, cavalinhos e os tradicionais “cabeções”, além de adereços relativos à festa junina e às bandeiras fazem parte dos grupos do arrastão, valorizando os ritmos da terra e a cultura amazônica.

1 comentários:

Postar um comentário

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB